04/08/2014

0

VOLTA ÀS AULAS

E hoje foi o dia de volta às aulas do João Pedro.
Muitas escolas alteraram o calendário devido á Copa do Mundo, mas a do João manteve seu calendário normal.

Logo pela manhã muito chororô, não quero ir, quero dormir mais, to com frio, quero meu cobertor. Papai e mamãe precisou de muita paciência e criatividade no repertório para não iniciar o primeiro dia com stress rrsrsrsr.

Durante o caminho, tudo tranquilo, muita conversa, risadas, canções, observando o caminho pra ver se algo modificou-se nesses 30 dias.

Finalmente, chegamos à escola, que estava toda enfeitada de bexigas, faixas de boas vindas. Tia Rô como sempre com seu lindo sorriso de bom dia e muita simpatia aguardava os alunos e os recepcionava na volta às aulas.

João ficou animado com as bexigas, com uma pequena reforma da rampa que dá acesso ao pequeno lago onde eles alimentam as carpas, mas, porém, contudo rsrsrs, vida de mãe não é fácil, quando chegou a hora H de adentrar o prédio, ele me olha com aquele olhar do cachorrinho que caiu do caminhão de mudanças, menor abandonado e a célebre frase: "mãe, entra comigo". Lógico que já fiquei com o coração apertado, com a pergunta que não quer calar: se eu deveria largar o trabalho e dar mais atenção e tempo a eles, enfim, todas as minhas dúvidas, sentimentos que dariam pra escrever mais um milhão de posts aqui.

Peguei a sua mão e entramos pra escola, fomos ver o novo local para deixar as mochilas e lancheiras, a sala estava toda arrumada, mas na hora da despedida veio a outra célebre frase junto com o choro inconsolado: mãe vou sentir muitas saudades, fica comigo...

Fonte: Imagem do Google

Enfim, precisei ir embora e deixá-lo lá chorando e carregando aquela culpa enorme de abandono, aquele ponto de interrogação imenso se estou sendo uma boa mãe, se isso está certo, enfim... fui para o trabalho arrasada...

Esperei cerca de uma hora com meus questionamentos, minhas muitas dúvidas e liguei na escola pra saber como ele estava: "Lu, se acalmou logo que você saiu e está se esbaldando no parque com os amigos".  Senti um certo alívio naquele momento, mas depois um outro questionamento e se amanhã acontecer tudo de novo?? Até onde aguento??

Enfim, estou torcendo e trabalhando arduamente pra que isso não se transforme em rotina em conjunto com a psicóloga.

E aí mais alguma mamãe passando pela mesma situação?? Dicas, experiências, aguardo seus comentários!!!

Bjs, Lu